Matrix e Marx

ico

Como exercício de sala de aula, em TGAP, pediu-se-nos (linda construção!) que criássemos perguntas e suas respectivas respostas sobre a primeira parte do capítulo II do livro em questão (ver abaixo), sobre Karl Marx. O modo como Denhardt fez sua exposição não me deu outra alternativa senão associá-la ao filme Matrix, do qual sou obviamente fã.

Bom, a pergunta e a resposta, do modo como redigi, não estão muito boas, mas o paralelo entre Matrix e Marx é altamente pertinente. Pense aí e você vai ver, ainda mais se tiver o livro à sua disposição: forças de produção, alienação, objetificação do trabalho, ilusão…

O que o filme “The Matrix” tem a ver com as formulações de Marx? Ele teria gostado do filme?

R: No filme The Matrix, a humanidade evoluiu para um sistema de produção em que é subjugada por máquinas e computadores. A missão do herói Neo

Ver o post original 190 mais palavras

A Ju e o Bush

Por António Prata
aprata.abril@capricho.com.br

A Ju e o Bush
Para entender o que rola à sua volta, é preciso aprender a ler o mundo muito bem


Você está a fim do André.
A Mari, uma garota da sua classe, também. Aí a Ju, amiga da Mari, chega pra você numa festa e diz que o André quer ficar com a Mari. Como a Ju é amiga da Mari, á informação que ela acaba de passar é suspeita. A Ju não é neutra na história e seus interesses (que a amiga se dê bem e você mal) podem fazer com que a “verdade” dela não seja, digamos, muito exata. Continuar lendo “A Ju e o Bush”

Amor é prosa, sexo é poesia

AMOR É PROSA, SEXO É POESIA
ARNALDO JABOR
Sábado, fui andar na praia em busca de inspiração para meu artigo de jornal. Encontro duas amigas no calçadão do Leblon:
– Teu artigo sobre amor deu o maior auê… – me diz uma delas.
– Aquele das mulheres raspadinhas também… Aliás, que você tem contra as mulheres que barbeiam as partes? – questiona a outra.
– Nada… – respondo. – Acho lindo, mas não consigo deixar de ver ali nas partes dessas moças um bigodinho sexy… não consigo evitar… Penso no bigodinho do Hitler, do Sarney… Lembram um sarneyzinho vertical nas modelos nuas… Por isso, acho que vou escrever ainda sobre sexo… Continuar lendo “Amor é prosa, sexo é poesia”

Porque Sociologia e Filosofia no Ensino Médio?


Lejeune Mato Grosso Xavier de Carvalho 
*

            Costumo dizer que a luta pelo ensino de Sociologia à nossa juventude é mais do que centenária. E é verdade. Desde que Benjamin Constant foi ministro da Educação do governo do marechal Floriano Peixoto em 1891, vimos lutando para ver este antigo e importante sonho ser realizado. Benjamin, positivista convicto, fez um plano educacional para o país, que obrigava o ensino de nossa ciência. Infelizmente, morreu sem ver seu sonho concluído. E já se vão 114 anos. Nesse mais de um século, tivemos muitas idas e vindas, mas nunca, em momento algum, pudemos presenciar a obrigatoriedade do ensino da Sociologia em todas as escolas de nível médio de nosso país. Continuar lendo “Porque Sociologia e Filosofia no Ensino Médio?”

CRÔNICA DO AMOR ARNALDO JABOR

Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os  honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo  a porta. O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor  acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar. Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Continuar lendo “CRÔNICA DO AMOR ARNALDO JABOR”

Como matar um professor

15/05/2007
Como “matar” um professor – Gilberto Dimenstein#
Há uma série de pesquisas que mostram o enorme estresse a que é submetido um professor, especialmente de escola pública, traduzindo-se em várias doenças, como ansiedade ou depressão. Ao perder o encanto de ensinar, ele estará, enquanto profissional, morto, esperando a aposentadoria. Continuar lendo “Como matar um professor”